6 dicas práticas para armazenar seus arquivos

Todo mundo já perdeu um cartão de memória repleto de fotos e vídeos de família ou com um trabalho de faculdade e até mesmo profissional, não é mesmo? Perder de arquivos é um dos principais medos de todo profissional de audiovisual.


Além dos problemas legais que isso pode acarretar, existe também os imediatos como atrasar a produção do material, ter que refazer as filmagens (em casos que for possível) e, em casos de cartões corrompidos, discos danificados e acidentados, utilizar uma empresa de recuperação de arquivos. Tudo isso gera muito mais custos! A regra básica quando se fala em backup é:


Quem tem um não tem nenhum, quem tem dois tem um.”

Para evitar dor de cabeça após qualquer tipo de trabalho, temos essas 6 dicas:


1. Crie uma rotina de backup a cada trabalho. Parece óbvio, mas muita gente não tem uma rotina, seja ela no set ou após captar as imagens. O primeiro passo é definir um sistema de nomenclatura que você entenda, por exemplo: DIA-MÊS-ANO_CLIENTE_JOB.

O próximo passo é definir em quais locais e unidades realizará o arquivamento dos arquivos dos discos, cartões de origem. Nessa etapa sugerimos salvar primeiro no desktop em pasta padrão, depois uma cópia na nuvem e em um segundo disco. Dessa forma você ainda poderá trabalhar com os arquivos no disco da máquina, que lhe trará mais agilidade no trabalho.

2. Não delete, nem recorte os arquivos da origem O material veio de um cartão de memória padrão? Copie os arquivos para sua máquina, deixando-o intacto após a cópia. O problema em recortar e colar no seu desktop é que em qualquer pico de energia, você corre o risco de ter os arquivos corrompidos e a recuperação não vai ser fácil ou barata. É importante copiar todo o conteúdo de uma vez não apenas um ou dois, evitando que a estrutura padrão dos arquivos se altere também.


3. Utilize a nuvem o máximo que puder

Um serviço que se encaixou perfeitamente em nosso processo de trabalho foi o do One Drive. Sem entrar muito nos detalhes, ele permite até 5 contas com 1TB de armazenamento cada, dessa forma podemos direcionar qual conta vai para cada tipo de trabalho e uma conta mãe que armazena nosso esquema completo (além de cópias locais e em outro serviço também). Além dessas facilidades, conseguimos utilizar o app para desktop, então conseguimos realizar um backup baseado em pastas simples do Windows 10. Mas esse serviço não é perfeito e não garante que nossos arquivos fiquem armazenados pra sempre, não é mesmo? Por isso sempre deixamos cópias físicas em HDs externos também.

Obs: nunca confie em backups automáticos!


4. Tenha uma pessoa separada para fazer o backup O profissional responsável por isso nos sets é conhecido com Logger ou Data Manager, ele fica responsável por fazer a primeira “organização” dos cartões durante a filmagem, em alguns casos armazenar e levar até a ilha. Um profissional que precisa ficar focado e fora da correria, pois um erro pode custar a produção toda.

Em pequenas produções ou outros trabalhos, quando não se tem apoio de um Logger, sempre sugerimos que nossa equipe leve uma ilha móvel com link para internet, assim podemos realizar 2 backups diretamente no set após a diária, ou no intervalo (um backup em HD externo + backup na nuvem, porém também é possível utilizar HDs externos com Wi-Fi que realizam o backup, mas desses falaremos em um post dedicado a HDs externos).


5. Armazenamentos de HDs externos e discos rígidos Marque na sua agenda, pelo menos 2x por mês bote os discos para rodar. Eu não sou especialista em memória, mas já perdi um porque certo dia ele “parou de funcionar”, os arquivos nele, por sorte, eu já havia feito backup, mas mesmo assim memória não é tão barata assim para se perder. Este relato não é apenas meu, já ouvi diversos profissionais relatarem o mesmo (vamos averiguar essa informação com o T.I e trazer no artigo sobre HDs). O local onde guarda seus HDs também não pode ser úmido demais, evite prateleira ou mochilas, aqui vale a mesma regra para armazenamento de câmera e lentes: caixa plástica com dois antimofos dentro. Você se surpreenderia ao final do mês na troca de antimofo.


6. Aguarde até os 45 do segundo tempo

Não precisa formatar o cartão? Não formate, simples assim. Quem nunca formatou por engano? Já li relatos de falha na câmera por falta de bateria e o cartão ficou inutilizado. Portanto, a regra aqui é paciência. Espere até não ser mais possível.


Dicas extra: Verifique regularmente seus backups e só exclua na certeza de não precisar nunca mais. Para quem precisa ou trata com arquivos confidenciais ou sensíveis, criptografe e faça um backup extra sempre.

Não se engane, toda produção precisa de um bom sistema de backup, até mesmo Toy Story 2, sim o da Pixar, é um bom exemplo de filme que poderia não ter saído por conta de arquivos deletados.



Fique ligado que em breve falaremos sobre RAID, um sistema de discos redundantes que minimizam problemas de perda de arquivo e sobre como escolher um bom HD externo.


#4xprod #backup






© 2019 por 4x Produções.